Ciência e Saúde

23/Set/2021 14:27h
Nos EUA, homem com doença rara recebe rim transplantado do próprio marido
23/Set/2021 09:01h
Oficinas de teatro e dança com idosos vão virar espetáculos
22/Set/2021 09:00h
Gente do campo: Johanna Döbereiner descobriu que plantas podem gerar seu próprio adubo interagindo ...
21/Set/2021 09:00h
Atendimento deve englobar pacientes com demência e seus cuidadores
19/Set/2021 19:35h
Por que as drogas psicodélicas estão mais perto do mercado convencional
Ver todas

Exames

  • CROMATOGRAFIA DE AMINOÁCIDOS LIVRES (na urina ou soro)

    Descrição:
    Sinonímia: Aminoacidúria, pesquisa de erros inatos do metabolismo.

    Material: Soro. Volume mínimo: 0,5 mL. Urina. Volume mínimo: 5,0 mL.

    Colheita, conservação: Se o exame não for realizado no mesmo dia, congelar a amostra.

    Preparo do paciente: Jejum de 4 horas para colheita de sangue. Em lactentes, quando o exame for feito no soro, colher sangue antes de uma mamada.

    Método: Cromatografia em camada delgada.

    Interferentes: -

    Valores normais: O teste é qualitativo e o critério de normalidade estabelecido por comparação com urinas e soros de referência.

    Interpretação: O teste é útil no rastreamento de defeitos metabólicos congênitos que resultem no aumento de aminoácidos, isolados ou em grupos, no soro ou na urina. Aminoacidúrias conseqüentes a defeitos tubulares renais também são detectadas, quer de grupos específicos de aminoácidos, como na cistinúria (aumento de cistina, lisina, ornitina, arginina), quer na forma generalizada como na síndrome de Fanconi ou similares.