Ciência e Saúde

15/Jun/2021 23:01h
Brasil registra 2.760 mortes por Covid em 24 horas; média móvel de casos é a maior desde 1º de abril...
15/Jun/2021 20:17h
Terceira onda de Covid-19 deve acelerar mortes nas próximas semanas, alertam especialistas
15/Jun/2021 18:15h
EUA registram 600 mil mortes pela Covid-19, aponta universidade
15/Jun/2021 18:02h
'Bagunça' e desperdício: ex-chefe do PNI critica vacina para adolescente antes de adultos em Betim...
15/Jun/2021 17:57h
Brasil vai receber 842,4 mil doses da vacina contra a Covid da Pfizer por meio do consórcio Covax
Ver todas

Exames

  • CROMATOGRAFIA DE AMINOÁCIDOS LIVRES (na urina ou soro)

    Descrição:
    Sinonímia: Aminoacidúria, pesquisa de erros inatos do metabolismo.

    Material: Soro. Volume mínimo: 0,5 mL. Urina. Volume mínimo: 5,0 mL.

    Colheita, conservação: Se o exame não for realizado no mesmo dia, congelar a amostra.

    Preparo do paciente: Jejum de 4 horas para colheita de sangue. Em lactentes, quando o exame for feito no soro, colher sangue antes de uma mamada.

    Método: Cromatografia em camada delgada.

    Interferentes: -

    Valores normais: O teste é qualitativo e o critério de normalidade estabelecido por comparação com urinas e soros de referência.

    Interpretação: O teste é útil no rastreamento de defeitos metabólicos congênitos que resultem no aumento de aminoácidos, isolados ou em grupos, no soro ou na urina. Aminoacidúrias conseqüentes a defeitos tubulares renais também são detectadas, quer de grupos específicos de aminoácidos, como na cistinúria (aumento de cistina, lisina, ornitina, arginina), quer na forma generalizada como na síndrome de Fanconi ou similares.