Ciência e Saúde

16/Set/2021 09:00h
Ideias para o atendimento da saúde em 2030
14/Set/2021 23:00h
Brasil volta a ter média móvel acima de 500 mortes diárias por Covid após 6 dias
14/Set/2021 19:23h
Combinação de tipos diferentes de vacinas contra a Covid pode ser vantajosa e gerar mais resposta
14/Set/2021 17:58h
Brasil, Índia e África do Sul foram focos de surgimento de novas variantes do coronavírus até junho,...
14/Set/2021 16:55h
Dois objetos com mais de 10 mil anos são achados dentro do estômago de crocodilo nos EUA
Ver todas

Exames

  • CRYPTOSPORIDIUM (Pesquisa nas fezes)

    Descrição:
    Material: Fezes diarreicas, recém emitidas (até um máximo de 3 horas). Peso mínimo: 30 g.

    Colheita, conservação: Colocar as fezes em frascos com e sem conservante. No laboratório as fezes são colocadas em bicromato de potássio a 2% para facilitar a esporulação.

    Método: Exame a fresco e após concentração do material pelos métodos de Sheater e do formol-éter. Coloração pelos métodos de Kinyoun modificado e da auramina.

    Interferentes: Antibióticos interferem no ciclo do protozoário. Valores normais: Negativo.

    Interpretação: O teste é útil no diagnóstico das infecções por Cryptosporidium que é parasita responsável por quadro diarreicos severos em indivíduos imunodeprimidos: pacientes com AIDS, pacientes submetidos a quimioterapia ou portadores de imunodeficiências congênitas. O Cryptosporidium também é causa freqüente de quadros diarreicos em crianças e adultos, com duração de 2 - 3 semanas e que se curam espontaneamente. O ideal é fazer a pesquisa em 2 amostras com intervalos de 5 dias, devido ao ciclo do parasita.

    Exames relacionados: Parasitológico de fezes, coprocultura, pesquisa de rotavírus.