Ciência e Saúde

03/Jul/2022 10:00h
Por que somos mais sujeitos a tonturas ao envelhecer
30/Jun/2022 09:01h
Por que a desigualdade é um fator de risco para o Alzheimer
28/Jun/2022 09:00h
A vida depois de uma doença grave
26/Jun/2022 09:01h
O mito do abismo entre as gerações
24/Jun/2022 04:00h
Harvard responderá processo sobre fotos de escravos feitas para pesquisa racista em 1850
Ver todas

Exames

  • ESTRADIOL

    Descrição:
    Sinonímia: 17 beta estradiol, E2.

    Material: Soro, plasma EDTA ou plasma heparinizado. Volume mínimo: 2,0 mL.

    Colheita, conservação: Se o exame não for realizado no mesmo dia, congelar a amostra.

    Preparo do paciente: Jejum de 4 horas. Em mulheres anotar o dia do ciclo menstrual. De preferência colhe entre 13 º. e o 15º dias do ciclo.

    Método: Radioimunoensaio, com extração prévia.

    Interferentes: Lipemia.

    Valores normais:
    Sexo feminino:
    fase folicular: 1,0 a 30,0 ng/dL. ( 37 a 1101 pmol/L).
    pico ovulatório: 15,0 a 60,0 ng/dL. (550 a 2202 pmol/L).
    fase lútea: 5,0 a 30,0 ng/dL. (183 a 1101 pmol/L).

    Sexo masculino: 1,0 a 6,0 ngldL ( 37 a 220 pmol/L).

    Interpretação: O estradiol é o estrógeno mais potente produzido pelas gônadas, refletindo de maneira confiável a atividade estrogênica. Nos homens é um produto de secreção das células de Leydig e da conversão periférica de testosterona. Nas mulheres é produto da secreção folicular. Sua determinação está indicada no estudo da função estrogênica ou folicular, e na propedêutica da puberdade precoce e no diagnóstico de tumores feminilizantes no homem.

    Exames relacionados: Progesterona, FSH, LH, estriol.