Ciência e Saúde

23/Set/2021 14:27h
Nos EUA, homem com doença rara recebe rim transplantado do próprio marido
23/Set/2021 09:01h
Oficinas de teatro e dança com idosos vão virar espetáculos
22/Set/2021 09:00h
Gente do campo: Johanna Döbereiner descobriu que plantas podem gerar seu próprio adubo interagindo ...
21/Set/2021 09:00h
Atendimento deve englobar pacientes com demência e seus cuidadores
19/Set/2021 19:35h
Por que as drogas psicodélicas estão mais perto do mercado convencional
Ver todas

Exames

  • CLORETOS (Dosagem na urina)

    Descrição:
    Sinonímia: Cloro urinário.

    Material: Urina de 24 horas ou alíquota (volume mínimo: 5 mL) com volume total anotada

    Colheita, conservação: Manter a amostra sob refrigeração.

    Preparo do paciente: Manter a dieta usual.

    Método: Titrimétrico.

    Interferentes: Diuréticos aumentam a excreção de cloro.

    Interpretação: O teste é útil na avaliação do metabolismo hidro-salino ou da ação de diuréticos. Tem valor na diferenciação de alcaloses cloro-responsivas ou não; em caso de vômitos ou aspiração gástrica, por exemplo, a alcaloses se acompanha de níveis baixos de cloro urinário f <10 mEq/litro}, e tal alcalose é cloro-responsiva. Já em alcaloses com cloro urinário superior a 20 mEq/litro (como nos excessos de corticosteróides exógenos ou endógenos) a resposta à administração de cloro é discreta ou ausente. Entre as síndromes que se enquadram nesta última situação lembramos síndrome de Cushing, de Conn e de Bartter.

    Exames relacionados: Sódio urinário, potássio urinário, pH, bicarbonato e cloro sangüíneos.