Ciência e Saúde

28/Jun/2022 09:00h
A vida depois de uma doença grave
26/Jun/2022 09:01h
O mito do abismo entre as gerações
24/Jun/2022 04:00h
Harvard responderá processo sobre fotos de escravos feitas para pesquisa racista em 1850
23/Jun/2022 17:00h
Kemune: a cidade de 3,4 mil anos que reapareceu no Iraque devido à seca
23/Jun/2022 09:01h
Vem aí a nutrição de precisão
Ver todas

Exames

  • CRIPTOCOCOSE

    Descrição:
    Sinonímia: Sorologia para torulose, para criptococo.

    Material: Soro ou líquor. Volume mínimo: 2,0 mL.

    Colheita, conservação: Se o exame não for realizado no mesmo dia, congelar a amostra.

    Preparo do paciente: Jejum de 8 horas.

    Método: Fixação do complemento, pesquisa de precipitinas.

    Interferentes: Hemólise.

    Valores normais: Ausência de anticorpos. Para fins diagnósticos recomendam-se duas coletas: uma na fase aguda e outra três semanas após.

    Interpretação: Teste útil no diagnóstico e prognóstico da infecção criptocócica. Precipitinas são evidenciadas precocemente no curso da doença, mas à medida que a doença evolui o excesso de antígeno torna a reação negativa. Títulos de fixação do complemento maiores que 1/16 são presuntivos de criptococose ativa. Maior valor é dado quando ocorre ascensão de título entre duas amostras colhidas com intervalo de três semanas. Reações negativas não excluem o diagnóstico.

    Exames relacionados: Sorologia para blastomicose e histoptasmose.