Ciência e Saúde

03/Jul/2022 10:00h
Por que somos mais sujeitos a tonturas ao envelhecer
30/Jun/2022 09:01h
Por que a desigualdade é um fator de risco para o Alzheimer
28/Jun/2022 09:00h
A vida depois de uma doença grave
26/Jun/2022 09:01h
O mito do abismo entre as gerações
24/Jun/2022 04:00h
Harvard responderá processo sobre fotos de escravos feitas para pesquisa racista em 1850
Ver todas

Exames

  • ÁCIDO ÚRICO (Dosagem no soro)

    Descrição:
    Sinonimia: Uricemia.

    Material: Soro. Volume mínimo: 0,5 mL.

    Colheita, conservação: Se o exame não for realizado no mesmo dia, congelar a amostra.

    Preparo do paciente: Jejum de 8 horas.

    Método: Enzimático, automatizado.

    Interferentes: Vários diuréticos, álcool, salicilatos em pequenas doses e antineoplásicos aumentam os níveis do ácido úrico in vivo.

    Valores normais: Sexo masculino: 2,6 – 6,8 mg/dL (154 a 404 pmol/L). Sexo feminino: 2,0 - 6,3 mg/dL (119 a 375 mol/L).

    Interpretação: A determinação é útil no diagnóstico das hiperuricemias, como as encontradas na gota e na calculose e nefropatia úricas, na insuficiência renal, em neoplasias, leucemias, linfomas, mieloma, policitemia, toxemia da gravidez, psoríase, glicogenose tipo I. Associa-se com hiperlipidemia, obesidade, diabetes, ingestão de álcool, acromegalia, sarcoidose e hipertensão. Encontra-se diminuido em situações como: síndrome de Fanconi, doença de Wilson, secreção inapropriada de hormônio anti-diurético; diminui ainda sob efeito de drogas como allopurinol, aspirina em altas doses, contrastes radiológicos, altas doses de vitamina C.

    Exames relacionados: Ácido úrico urinário, provas de atividade reumática, pesquisa de fator reumatóide.