Ciência e Saúde

23/Set/2021 14:27h
Nos EUA, homem com doença rara recebe rim transplantado do próprio marido
23/Set/2021 09:01h
Oficinas de teatro e dança com idosos vão virar espetáculos
22/Set/2021 09:00h
Gente do campo: Johanna Döbereiner descobriu que plantas podem gerar seu próprio adubo interagindo ...
21/Set/2021 09:00h
Atendimento deve englobar pacientes com demência e seus cuidadores
19/Set/2021 19:35h
Por que as drogas psicodélicas estão mais perto do mercado convencional
Ver todas

Exames

  • PROVA DE ABSORÇÃO DE D-XILOSE (Dosagem no Plasma)

    Descrição:
    Sinonimia: Xilosemia.

    Material: Plasma fluoretado. Volume mínimo: 0,5 mL.

    Colheita, conservação: Colhe-se sangue fluoretado 60 minutos após a ingestão da D-xilose. Refrigerar o plasma após a separação

    Preparo do paciente: Jejum de 3 a 4 horas para crianças e 8 horas para adultos. Administra-se, por via oral, D-xilose em solução aquosa a 10%, 0,5 g/kg de peso corporal. Dose máxima: 25 g.

    Método: Colorimétrico, de Goodwin.

    Interferentes: AAS, colchicina, digital, indometacina, kanamicina, ácido nalidíxico, fenformin, neomicina, atropina, inibidores da MAO, ouro.

    Valores normais: Valores acima de 20 mg/dL para crianças até 6 meses ou acima de 25 mg/dL para crianças com mais de 6 meses e adultos indicam boa absorção intestinal.

    Interpretação: O teste é útil no diagnóstico diferencial das síndromes de má absorção intestinal. A D-Xilose é um açúcar cuja absorção depende somente da integridade da parede intestinal; resultados alterados vão ser encontrados, portanto, naquelas patologias que cursam com lesão da mucosa intestinal.

    Exames relacionados: Provas de absorção da lactose e de triglicérides e dosagem ou pesquisa de gorduras fecais.