Ciência e Saúde

28/Jun/2022 09:00h
A vida depois de uma doença grave
26/Jun/2022 09:01h
O mito do abismo entre as gerações
24/Jun/2022 04:00h
Harvard responderá processo sobre fotos de escravos feitas para pesquisa racista em 1850
23/Jun/2022 17:00h
Kemune: a cidade de 3,4 mil anos que reapareceu no Iraque devido à seca
23/Jun/2022 09:01h
Vem aí a nutrição de precisão
Ver todas

Exames

  • PROVA DE ABSORÇÃO DE D-XILOSE (Dosagem no Plasma)

    Descrição:
    Sinonimia: Xilosemia.

    Material: Plasma fluoretado. Volume mínimo: 0,5 mL.

    Colheita, conservação: Colhe-se sangue fluoretado 60 minutos após a ingestão da D-xilose. Refrigerar o plasma após a separação

    Preparo do paciente: Jejum de 3 a 4 horas para crianças e 8 horas para adultos. Administra-se, por via oral, D-xilose em solução aquosa a 10%, 0,5 g/kg de peso corporal. Dose máxima: 25 g.

    Método: Colorimétrico, de Goodwin.

    Interferentes: AAS, colchicina, digital, indometacina, kanamicina, ácido nalidíxico, fenformin, neomicina, atropina, inibidores da MAO, ouro.

    Valores normais: Valores acima de 20 mg/dL para crianças até 6 meses ou acima de 25 mg/dL para crianças com mais de 6 meses e adultos indicam boa absorção intestinal.

    Interpretação: O teste é útil no diagnóstico diferencial das síndromes de má absorção intestinal. A D-Xilose é um açúcar cuja absorção depende somente da integridade da parede intestinal; resultados alterados vão ser encontrados, portanto, naquelas patologias que cursam com lesão da mucosa intestinal.

    Exames relacionados: Provas de absorção da lactose e de triglicérides e dosagem ou pesquisa de gorduras fecais.